• Hoje: sexta-feira, dezembro 15, 2017

Velho golpe que simula consulta a saldo do FGTS torna circular em grupos de Whatssap

IMG_20171007_222751
Redação Rw News
outubro07/ 2017

Um velho golpe já conhecido que usa o saque do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como isca no WhatsApp torna a viralizar. 

 

No final de maio deste ano mais de 360 mil pessoas foram afetadas pelo ataque em apenas dois dias naquele mês, de acordo com os dados da empresa de segurança e tecnologia PSafe. As mensagens falsas circularam com o mesmo link que hoje supostamente encaminharia o trabalhador para conferir se está apto a receber R$ 1.760 referente a um saldo do FGTS.

 

As vítimas recebem o texto a partir de pessoas conhecidas ou em grupos do WhatsApp. A mensagem alega que as pessoas que trabalharam com carteira assinada entre 1998 e 2016 podem receber até dois salários mínimos, por meio da Caixa Econômica Federal. A armadilha usa mensagem para atrair trabalhadores que ainda possuem dúvidas sobre o saque de contas inativas do FGTS.

 

Para fazer a consulta, o usuário precisa acessar um link e responder a três perguntas: “Você trabalhou no período entre 1998 a 2016?”, “Você está registrado atualmente?” e “É maior de 18 anos”. Independentemente das respostas, a vítima é encaminhada para uma nova página, que pede que ela compartilhe o link com dez amigos via WhatsApp para poder consultar a lista. Desta forma, o golpe afeta um maior número de vítimas.

 

Em seguida, o usuário precisa se cadastrar em serviços de SMS pago ou é levado a fazer o download de aplicativos falsos, que podem infectar o smartphone e deixá-lo vulnerável a outros tipos de crimes ou prejuízo financeiro. Segundo a empresa identificou, o pacote de mensagens que o trabalhador contrata, sem perceber, é de conteúdo adulto e efetua cobranças indevidas a partir da armadilha criada pelos hackers.

 

A Caixa Econômica Federal esclarece que não envia e-mail ou mensagens via WhatsApp sobre o saque de valores do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

 

A Caixa orienta os trabalhadores a encontrar informações seguras e atualizadas no site do banco e por meio do 0800-726-0207, ou pelo App FGTS CAIXA.

 

A PSafe destaca que o ataque ainda conta com comentários de falsos usuários elogiando a campanha. Caso o usuário tenha caído no golpe, a companhia orienta entrar em contato com operadora e cancelar serviço de SMS pago.

 

Veja os cuidados necessários:

 

Gerente de Segurança da PSafe, Emilio Simoni destaca que os usuários de smartphones devem consultar sempre páginas oficiais de empresas para se certificarem que se trata de uma oportunidade verídica.

 

— O usuário deve estar atento a qualquer tipo de promoções exageradas que chegam por mensagens, checando sempre se a promoção é real ao entrar em contato diretamente com a empresa ou órgão do governo. Além disso, é imprescindível que tenha instalado um software de segurança.

 

A PSafe também recomenda que os usuários mantenham sempre o sistema operacional dos smartphones atualizado e que só façam download de aplicativos em lojas oficiais, como a Google Play ou Apple Store.

 

Caixa Econômica nega ligação com mensagem

 

A Caixa Econômica Federal esclarece que não envia e-mail ou mensagens via WhatsApp sobre o saque de valores do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

 

A Caixa orienta os trabalhadores a encontrar informações seguras e atualizadas no site do banco e por meio do 0800-726-0207, ou pelo App FGTS CAIXA.

 

O FGTS pode ser sacado nas seguintes ocorrências:

 

1 – Na demissão sem justa causa;

 

2 – No término do contrato por prazo determinado;

 

3 – Na rescisão do contrato por extinção total da empresa; supressão de parte de suas atividades; fechamento de quaisquer de seus estabelecimentos, filiais ou agências; falecimento do empregador individual ou decretação de nulidade do contrato de trabalho – inciso II do art. 37 da Constituição Federal, quando mantido o direito ao salário;

 

4 – Na rescisão do contrato por culpa recíproca ou força maior;

 

5 – Na aposentadoria;

 

6 – No caso de necessidade pessoal, urgente e grave, decorrente de desastre natural previsto no Decreto n. 5.113/2004 (clique aqui), que tenha atingido a área de residência do trabalhador, quando a situação de emergência ou o estado de calamidade pública for assim reconhecido, por meio de portaria do Governo Federal;

 

7 – Na suspensão do Trabalho Avulso por prazo igual ou superior a 90 dias;

 

8 – No falecimento do trabalhador;

 

9 – Quando o titular da conta vinculada tiver idade igual ou superior a 70 anos;

 

11 – Quando o trabalhador ou seu dependente for portador do vírus HIV;

 

12 – Quando o trabalhador ou seu dependente estiver acometido de neoplasia maligna – câncer;

 

13 – Quando o trabalhador ou seu dependente estiver em estágio terminal, em razão de doença grave;

 

14 – Quando a conta permanecer sem depósito por 3 (três) anos ininterruptos cujo afastamento tenha ocorrido até 13/07/90, inclusive;

 

15 – Quando o trabalhador permanecer por 03 (três) anos ininterruptos fora do regime do FGTS, cujo afastamento tenha ocorrido a partir de 14/07/90, inclusive, podendo o saque, neste caso, ser efetuado a partir do mês de aniversário do titular da conta;

 

16 – Na amortização, liquidação de saldo devedor e pagamento de parte das prestações adquiridas em sistemas imobiliários de consórcio;

 

17 – Para aquisição de moradia própria, liquidação ou amortização ou pagamento de parte das prestações de financiamento habitacional concedido no âmbito do SFH.

 

Outra possibilidade de saque, vigente até o dia 31 de julho, é o das contas inativas do FGTS. De acordo com a MP 763/201, o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015 pode sacar o saldo da conta vinculada estando ou não fora do regime do FGTS.

 

Da Redação com Extra

Redação Rw News

Your email address will not be published. Required fields are marked *

big banner