• Hoje: segunda-feira, julho 16, 2018

Órgãos iniciam campanha contra hanseníase e verminoses

IMG-20180319-WA0035
Jair Gomes
março19/ 2018

Neste mês de março as secretarias de Estado da Saúde e da Educação e os 75 municípios sergipanos estão dando início a uma ampla campanha que aborda a hanseníase, as verminoses, o tracoma e a esquistossomose, envolvendo 1.740 escolas públicas e 265.575 alunos, com idade entre cinco anos e 14 anos. A campanha segue até o mês de junho próximo segundo informações da coordenadora do Núcleo de Doenças Transmissíveis da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Mércia Feitosa de Souza.

O carro-chefe da campanha é a hanseníase e o objetivo da mobilização é o de detectar novos casos em crianças e adolescentes com menos de 15 anos de idade, com vistas a se ter um diagnóstico precoce e oportuno. A hanseníase é transmissível de pessoa para pessoa, através da gotícula de saliva e no Brasil a incidência de casos coloca o país em posição desconfortável : é o segundo do mundo m casos da doença, perdendo apenas para a Índia. “A ideia da campanha é reverter este cenário”, testou a coordenadora.

A campanha da hanseníase e verminoses alcança 100% dos 75 municípios, enquanto a de tracoma será realizada pelos municípios de Cristinápolis e Arauá, enquanto a de esquistossomose será em Nossa Senhora do Socorro e Brejo Grande. A mobilização será realizada nas escolas públicas estaduais e municipais.

“No caso de verminoses, a campanha será realizada através da aplicação da medicação em crianças com díade entre cinco a 14 anos, enquanto no caso da hanseníase será feita através de pesquisa, com ficha de autoimagem a ser preenchida pelo profissional responsável. Quanto ao tracoma será feita por avaliação ocular para detecção da doença, e à esquistossomose por exame, mas apenas nas áreas onde há prevalência acima de 50%”, explicou Mércia Feitosa.

Ela informou que, no caso de os exames para esquistossomose darem positivo, as crianças e adolescentes serão tratados. O objetivo específico desta campanha é o de reduzir a carga parasitária das verminoses nos estudantes. “Quando essa carga é elevada, há déficit nutricional e de aprendizagem”, informou.

A meta para campanha de verminose é atingir 85% de crianças e adolescentes, mesmo percentual para a de hanseníase, que tem como público-alvo estudantes que possuem manchas suspeitas. A Secretaria de Estado da Saúde atua como orientadora, articuladora com a Educação e monitora da execução da campanha.

Com informações do SES

 

Jair Gomes

Your email address will not be published. Required fields are marked *

big banner