• Hoje: segunda-feira, outubro 15, 2018

‘Julho Amarelo’ terá mobilização de prevenção as hepatites

images (9)
J. Sousa
julho03/ 2018

De acordo com o gerente do Programa IST/Aids, Almir Santana, atualmente as hepatites virais são doenças consideradas problema de saúde pública

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) fará do mês de julho um período voltado para a prevenção e controle das hepatites virais, doenças preocupantes porque podem levar a uma cirrose hepática ou ao câncer de fígado. Durante o mês, através do Programa IST/Aidas (Infecções Sexualmente Transmissíveis), a SES irá realizar uma série de atividades que vão de mobilizações, passando pela oferta de testes rápidos e a promoção de seminário voltado para a temática.

De acordo com o gerente do Programa IST/Aids, Almir Santana, atualmente as hepatites virais são doenças consideradas problema de saúde pública porque a grande maioria é assintomática, ou seja, são doenças silenciosas, o que implica dizer que as pessoas podem tê-las e não saber. “Serão feitas algumas ações durante todo o mês, tais como seminário, mobilização com testes e atividades de incentivo para que as pessoas façam os testes nas unidades de saúde”, informou.

O alerta, segundo ele, é para que a prevenção se torne um hábito entre os sergipanos, evitando assim que a doença evolua para uma situação mais grave pela falta de diagnóstico ou diagnóstico tardio, quando a hepatite já está em estado avançado. Almir Santana explicou que a doença é uma infecção do fígado provocada por vírus, sendo os principais tipos A, B, C, D e E.

A concentração de atividades deve ocorrer na última semana do mês por conta do dia 28, data que se celebra o Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais. A SES contará com a parceria da Universidade Federal de Sergipe, através do Departamento de Hepatologia e do Hospital Universitário.

“Temos que alertar sobre a prevenção às hepatites, lembrando que há vacina contra a do tipo B, mas também salientando a importância de as pessoas adotarem cuidados em relação ao uso compartilhado de objetos perfurocortantes em salões de beleza, lojas de tatuagem e outros. A mesma orientação serve para quem é usuário de drogas, no uso de seringas”, falou Almir Santana.

Tipos de hepatites
Cinco são os tipos mais comuns de hepatites virais (A, B, C, D e E) e no caso da hepatite B, há vacina disponível nos postos de saúde.

Hepatite A

Tem o maior número de casos, está diretamente relacionada às condições de saneamento básico e de higiene. É uma infecção leve e cura sozinha. Existe vacina.

Hepatite B

O segundo tipo com maior incidência, atinge maior proporção de transmissão por via sexual e contato sanguíneo. A melhor forma de prevenção para a hepatite B é a vacina, associada ao uso do preservativo.

Hepatite C

Tem como principal forma de transmissão o contato com sangue. É considerada a maior epidemia da humanidade hoje, cinco vezes superior à AIDS/HIV. A hepatite C é a principal causa de transplantes de fígado. Não tem vacina. A doença pode causar cirrose, câncer de fígado e morte.

Hepatite D

É causada pelo vírus da hepatite D (VHD) e ocorre apenas em pacientes infectados pelo vírus da hepatite B. A vacinação contra a do tipo B também protege de uma infecção com a hepatite D.

Hepatite E

É causada pelo vírus da hepatite E (VHE) e transmitida por via digestiva (transmissão fecal-oral), provocando grandes epidemias em certas regiões. A hepatite E não se torna crônica, porém, mulheres grávidas que foram infectadas pelo vírus da hepatite E podem apresentar formas mais graves da doença.

Créditos: SES

J. Sousa

Your email address will not be published. Required fields are marked *

big banner