• Hoje: domingo, setembro 23, 2018

Fachin envia para plenário virtual recurso de Lula e Haddad é anunciado candidato do PT

17465
J. Sousa
setembro11/ 2018

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF) encaminhou nesta terça-feira (11) para análise do plenário virtual um recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra a decisão em que ele negou a suspensão da condenação do político no caso do triplex no Guarujá (SP). O processo será votado remotamente pelos 11 ministros do STF, que têm sete dias para votar.

Os advogados do petista tentam manter o nome do ex-presidente na urna por meio da suspensão da condenação de Lula, imposta pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), segunda instância da Justiça Federal. Por ter sido condenado, Lula foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa.

No pedido que encaminharam a Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF, os advogados insistiram na tese de que uma liminar proferida pelo Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) garante a Lula o direito de disputar a eleição.

Troca

Depois de quase um mês de uma campanha inviabilizada pela Justiça, o Partido dos Trabalhadores sucumbiu à realidade e oficializou nesta terça-feira o nome do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad no lugar do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, que está preso em Curitiba, para a disputa à Presidência da República.

IMG_20180911_153832

A troca na cabeça de chapa petista ocorre no limite do prazo determinado pela Justiça Eleitoral para que o partido possa prosseguir nas eleições deste ano. Com a mudança, a deputada Manuela D’Ávila, do PcdoB, passar a ser a vice na chapa. Além do do PCdoB, o Pros também integra coligação.

Recursos

O PT resistiu até o limite para comunicar a troca de Lula por Haddad. Pedidos da defesa do petista foram encaminhados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) e ao Supremo Tribunal Federal (STF) na tentativa de prorrogar o prazo para a apresentação do presidenciável. Foram 25 dias de sucessivos recursos que tentavam suspender a inelegibilidade do ex-presidente.

No último domingo (9), o ministro do TSE Luis Roberto Barroso proibiu o partido de usar a imagem de Lula como candidato sob pena de ser banido das propagandas de rádio e TV.

J. Sousa

Your email address will not be published. Required fields are marked *

big banner