• Hoje: domingo, junho 17, 2018

Ágatha e Duda vence suíças e repete ouro em etapa brasileira, desta vez em Itapema

FB_IMG_1526861956954
J. Sousa
maio20/ 2018

A dupla venceu na manhã deste domingo (20) as suíças Heidrich e Verge-Depre por 2 sets a 0 (21/19, 21/17), em 36 minutos, garantindo o ouro da etapa de Itapema (SC). Na temporada passada, a primeira da parceria, o título também veio, mas os jogos aconteceram no Rio de Janeiro (RJ).

 

Ágatha e Duda comemoram medalha de ouro em Itapema (Créditos: Cristiano Andujar/Inovafoto/CBV)
Ágatha e Duda comemoram medalha de ouro em Itapema (Créditos: Cristiano Andujar/Inovafoto/CBV)

 

As brasileiras foram empurradas por uma torcida apaixonada, que lotou a arena de 2,7 mil lugares desde o primeiro duelo do dia. Completando o pódio a medalha de bronze da etapa ficou com as canadenses Heather Bansley e Brandie Wilkerson, que superaram Maria Elisa e Carol Solberg (RJ) por 2 sets 1 (21/18, 18/21, 15/11), em 52 minutos.

Este é o segundo ouro em etapas do Circuito Mundial para Ágatha e Duda. Individualmente, Ágatha soma seis medalhas de ouro, enquanto Duda, de 19 anos, tem quatro. Ágatha comentou a alegria pela vitória, em especial pelo fato da competição acontecer no Brasil. Estiveram presentes familiares e amigos da bloqueadora paranaense.

“É incrível a alegria que estamos sentindo, uma sensação muito especial vencer com minha família aqui presente. Tem aquele algo a mais. A família da Duda também está presente, amigos que vieram de longe, tudo isso faz a gente se emocionar. Aproveitamos esse momento para agradecer esse carinho, estamos felizes e completas pois essas pessoas estão perto”, disse Ágatha, que completou.

“No dia a dia é uma batalha intensa, um trabalho muito duro em busca da evolução, tanto do corpo, como da mente. Então queremos dividir isso com essas pessoas. E também com nossa equipe incrível, são muitas pessoas especiais, parte disso. Somos apenas a consequência do trabalho de todos”, disse Ágatha, que ao lado de Duda soma 800 pontos pela conquista do ouro e recebe um prêmio de cerca de R$ 59 mil.

Somando os naipes masculino e feminino, agora o Brasil soma oito medalhas no Circuito Mundial 2018, sendo três de ouro, quatro de prata e uma de bronze. Duda também comentou a alegria pela conquista do ouro novamente no Brasil. Especialmente pelo fato de o último pódio no tour internacional ter acontecido em agosto do ano passado.

“O público e nossa família formaram mais um jogador em quadra. É ótimo termos mais um ouro no Brasil, estávamos engasgadas, pois alguns resultados recentes no Circuito Mundial não eram o que tínhamos buscado. Queríamos ir para o pódio. E felizmente conseguimos”, disse Duda.

Na disputa do bronze, Maria Elisa e Carol Solberg lutaram muito, mas não conseguiram vencer. Maria Elisa destacou a torcida, que encheu a arquibancada desde o primeiro dia e projetou os próximos passos no Circuito Mundial.

“As canadenses estão de parabéns, elas jogaram muito bem. A tática delas funcionou, o bloqueio era bem alto, e a defensora muito inteligente. Tivemos que correr atrás do prejuízo o tempo todo, mas não conseguimos reverter. Eu me emocionei ao ver essa arena lotada, o carinho que a torcida aqui nos deu é enorme”, disse.

A bloqueadora Wilkerson também comentou a medalha em Itapema. É a primeira da jogadora de 25 anos, que roda o tour internacional desde 2014.

“Este será definitivamente um torneio muito especial para mim. Tenho muita sorte de jogar com alguém como Bansley e acho que merecemos isso como um time, porque trabalhamos muito. Estou muito orgulhosa deste começo para nós. Eu amo o Brasil, eu amei essa cidade, o evento, então será torneio que eu nunca esquecerei”.

O Jogo

As brasileiras começaram com ritmo forte, abrindo três pontos de vantagem na primeira metade do set: 10 a 7. As suíças lutaram e conseguiram a virada em contra-ataque de Heidrich: 13 a 12. Ágatha e Duda não se abateram e empataram em 16 a 16, e pouco depois viraram em bloqueio de Ágatha: 18 a 17. Mantendo a virada de bola e contando com bons saques de Duda, a parceria verde e amarela fechou o set por 21 a 19 em ataque da sergipana.

O segundo set começou mais equilibrado, mas as brasileiras conseguiram abrir dois de vantagem na metade do set: 12 a 10. A dupla suíça conseguiu contra-ataques e empatou, mas logo na sequência Duda voltou a brilhar e a liderança foi retomada: 17 a 14 para o Brasil. Mantendo a virada e contando com apoio da torcida, as brasileiras fecharam o segundo set e o jogo em 21 a 17, em ataque no corredor de Ágatha.

O torneio em Itapema é da categoria quatro estrelas, distribuindo 150 mil dólares aos atletas, com as duplas campeãs nos dois naipes recebendo 20 mil dólares e somando 800 pontos para o ranking, que define os campeões da temporada. As competições do tour são classificadas de uma a cinco com base nos pontos e na premiação que distribuem.

O Brasil recebeu em sua história, até a parada de Itapema, 42 etapas no naipe masculino e 37 etapas no naipe feminino (a maioria realizadas simultaneamente) do Circuito Mundial de vôlei de praia. Esta é a primeira vez que uma cidade da região Sul do país recebe uma etapa do giro internacional.

 

 

 

 

BRASIL NO CIRCUITO MUNDIAL 2018:

Etapa de Haia – Holanda (4 estrelas)
Maria Elisa/Carol Solberg – prata

Etapa de Fort Lauderdale – EUA (5 estrelas)
Fernanda Berti/Bárbara Seixas – ouro
Carol Horta/Taiana – prata

Etapa de Xiamen – China (4 estrelas)
Alison/Bruno Schmidt – bronze

Etapa de Huntington Beach – EUA (4 estrelas)
Fernanda Berti/Bárbara Seixas – ouro
Maria Elisa/Carol Solberg – prata
Evandro/André Stein – prata

Etapa de Itapema – Brasil (4 estrelas)
Ágatha/Duda – ouro

Créditos: Confederação Brasileira de Voleibol

J. Sousa

Your email address will not be published. Required fields are marked *

big banner